Diabetes, comportamentos e qualidade de vida


diabetes glucose medidor Michaela Kobyakov.jpgPor Dami Carvalho, Coach de Vida e Saúde, Mestre em Saúde Coletiva pela UFRGS.

Hoje, dia 14 de Novembro, acontece o Dia Mundial do Diabetes. No Brasil, dos 14 milhões de diabéticos, 1/3 não sabe que possui a doença (fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes). Sendo uma doença crônica, de longa duração, o Diabetes acompanha o indivíduo por anos e anos em sua vida, demandando cuidado constante e mudanças de comportamento e estilo de vida. Exige alimentação saudável, prática de atividades físicas e acompanhamento médico, etc. Mas como modificar estes hábitos em função de uma doença silenciosa, quando a correria do dia-a-dia parece trazer outros problemas mais urgentes para serem resolvidos?

Apesar da doença surgir desta forma silenciosa é importante pensar no longo prazo, quando o Diabetes trará grandes consequências se não forem estabelecidas estratégias de enfrentamento. Planejar a saúde com o apoio de um processo de coaching é uma maneira de enxergar esta situação com mais clareza e conseguir modificar comportamentos que até então parecem imutáveis. Tudo por um propósito maior: sua saúde e qualidade de vida hoje e no futuro. Pense em sua liberdade e autonomia para realizar as tarefas do dia-a-dia na velhice e, principalmente, na sua presença de qualidade junto à família,  filhos, amigos…

O processo de coaching é um trabalho no qual o profissional Coach ajuda o paciente (coachee) a visualizar sua saúde de uma maneira ampliada para, a partir de então, desenvolver a habilidade de administrá-la da melhor forma, dentro das condições possíveis. Importante ressaltar que o Coach não substitui o médico ou outro profissional da saúde, ele complementa este time multidisciplinar desempenhando uma função específica: apoiar o processo de autoconhecimento do paciente sobre sua vida e saúde e sua capacidade de gerenciamento da mesma através da mudança e/ou implementação de novos comportamentos, hábitos e estratégias de estilo de vida.

Estas mudanças vão se consolidando à medida em que o paciente vai tendo mais consciência sobre seus valores pessoais, seu propósito de vida, seu nível de satisfação nas diferentes áreas (pessoal, profissional, financeira, saúde, relacionamentos, lazer, etc) e ele próprio vai definindo suas prioridades e objetivos a serem atingidos em cada uma delas. Quando estas áreas estão em equilíbrio já é possível perceber um aumento na qualidade de vida, mesmo tendo o diagnóstico de uma doença crônica como o Diabetes, pois saúde é “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de doenças” (OMS).

Gostou deste artigo? Compartilhe ou envie seus comentários para dami.carvalho@outlook.com

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s